Murilo, Paula e Ricardo

30 abr

Enquanto Murilo puxava assunto, Renato corria dos papos e Paula se ressentia pelo jeito errado que as coisas acontecem. Murilo era um bruto que falava muitas abobrinhas, mas quando estava com a Paula era um doce de pessoa, capaz de fazer voz, daquelas ridículas que se faz para namoradas, além de conversar sobre ótimos filmes e livros. Renato que era inteligente e sensível às nuances sutis das coisas, com a Paula era debochado, do tipo que fica fazendo graça com a cara dela e falava sobre futebol.

Os três fumavam. Murilo fumava o mesmo cigarro que a Paula e na mesma quantidade. Ricardo fumava um cigarro esporádico de filtro amarelo. Os três gostavam de maconha: Murilo mais, Renato médio e Paula menos. Os três bebiam, Murilo menos, Paula médio e Renato mais. Todos gostavam de fotografia e de um videoclipe com ratos e baratas, mas era impossível saber quem mais ou menos, neste caso.

Paula conhecia Renato há anos, Murilo a conhecia há alguns meses. Renato e Paula não tinham muito mais do que três amigos em comum. Murilo tinha uma lista vasta de amigos e conhecidos em comum com a Paula. Murilo e Renato não se conheciam e se fosse o caso, não fariam questão de conviverem. Para Paula as horas com Renato voavam e com o Murilo se arrastavam por vezes. Era evidente que ela gostava da companhia do Renato.

Paula estava dividida entre Murilo e Renato, enquanto corria do Victor no bar domingo após o jogo, enquanto corria de um franguinho cujo nome pouco importa na balada de sábado e também enquanto sentia saudade, todas as quintas-feiras, do amigo do Alessandroque ela não via há quase um ano. Eram duas mensagens pelo celular, duas vontades de telefonar, dois motivos para voltar para casa um pouco mais cedo do que o regular.

Em uma noite de sexta feira, Murilo chamou Paula para sair e ela ja tinha engolido na base de três comentários sobre a sua burrice que o culto Renato tinha tecido. Ela caminhava por uma rua meio vazia, não chovia, mas as ruas estavam molhadas e fazia frio. Ela pensou sobre sair com Murilo, mesmo que quisesse estar com Renato naquele dia. De uma hora para outra, nada daquilo fazia mais sentido, foi quando Paula entendeu que não estava dividida entre nenhum deles, porque de todas as companhias que ela pode ter, a melhor era ela mesma.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: