Archive | março, 2012

Mirian e o gap

15 mar

Mirian nunca pode conversar com Tobias sobre as coisas que gostava de discursar. Queria saber mais sobre o conflito de Israel com a Palestina e contar sobre quando ficou na mesma casa que um palestino no Fórum Social Mundial. Sempre que ela falava sobre isso, o fazia com os olhos brilhando. De Tobias, queria sentir um mínimo de compreensão, caso algum dia contasse essa história.

Mas ela e Tobias não tinham um gap tinham um abismo. Ele a achava chata e ela o achava bobo. Ele dizia que a forma com que Miriam se relacionava era superficial, ela via nele a necessidade de um relacionamento infantil. Ela o achava inseguro e limitado, ele a achava fechada e distante. Mirian enjoa de tudo em pouco tempo, Tobias ama tudo o que ele faz. Ela o achava um moleque desatento e ele a achava uma formiga que só trabalha. Ela gostava de fugir da realidade, ele desconhecia a realidade.

Tinha um tempo que não se viam. Mirian sentia saudades, mas não acreditava no benefício de uma volta para nenhum dos dois. Ela acreditava que ele era incrivelmente boa pessoa, simpático e carismático. Ele não pensava o mesmo dela, achava Miriam comum, acomodada e taciturna, embora ele não soubesse o significado dessa palavra. O fim foi rápido.

Eles tinham interesses opostos. Tobias é um tanto burrinho, embora não completamente, e não queria aprender coisas novas. Miriam é bastante sedentária e não sabia aproveitar a natureza, embora gostasse de apreciá-la. Eles não tinham o que trocar.

Miriam sente saudade das noites. Bem compartilhadas em pernas entrelaçadas que pareciam terem sido feitas sob medida uma para a outra. Em conversas com amigos, ela gostava de deixar claro o quão boa pessoa ele é e o quanto ela o quer bem. De qualquer forma, algumas vezes era possuída pela raiva, e, quando perguntada, costumava dizer em tom pejorativo: “Não conseguia conversar com ele.  Temos um gap cognitivo.”